Associação Assuense de Taekwondo
12/10/2013

Rivanaldo Freitas explica sucesso do Brasil no Pan-americano

1925Mestre Rivanaldo Freitas, líder da Equipe Natal Kim, na capital do estado, foi o chefe de equipe da Seleção Brasileira – Cadetes e Juvenil – que participou no campeonato Pan-americano de Queretaro, pelo que teve a oportunidade de acompanhar de perto toda a emoção vivida na conquista das 24 medalhas brasileiras. Em entrevista, o técnico da CBTKD explicou o clima que se viveu no México e qual foi o segredo para esta participação histórica do Brasil. A matéria que está no site da CBTKD (Confederação Brasileira de Taekwondo) foi assinada pela jornalista Carla Sofia Flores da assessoria de comunicação da entidade. Veja a entrevista na integra:

Qual foi o segredo para o brilhante desempenho do Brasil no Pan-americano?

 

Rivanaldo Freitas: Penso que, além de toda a preparação dos atletas, devemos destacar a união do grupo, a estrutura que tivemos para participar dessa competição e o grande talento individual dessa geração do Taekwondo brasileiro. Creio que o planejamento foi fundamental. Toda a parte do Camping, a estrutura para que o pessoal fosse viajar e a preparação dos atletas foram realmente importantes para que a gente pudesse enfrentar com igualdade de condições todos os adversários. Fizemos três finais em cada dia e, sempre, tivemos igualdades de condições.

 

Na sua opinião, quem foi o principal destaque do evento?

 

Rivanaldo Freitas: O Caio Motta, medalha de ouro e o Matheus Garcia, que foi prata numa final com o México muito conturbada. Mas toda a equipe foi muito bem. Sempre que perdemos foi por detalhes. Todas as lutas foram muito equilibradas e os nossos atletas demonstraram que têm muita qualidade técnica. Para mim, que tive a satisfação de participar como chefe de equipe, foi muito emocionante subir no pódio do Pan-americano cinco vezes. Ganhamos cinco troféus nos resultados gerais e realmente, foi a melhor participação do Brasil até hoje.

 

O fato de o Brasil ter feito a sua melhor participação de sempre em um evento internacional é indicativo de quê?

 

Rivanaldo Freitas: O Taekwondo brasileiro está no rumo certo, com profissionalismo e com uma gestão voltada para os interesses do coletivo. Acho que esse é o diferencial hoje no taekwondo brasileiro.

 

Pensa que estes resultados podem ser uma motivação extra para outros atletas?

 

Rivanaldo Freitas: Nós temos que pegar nesse resultado e trabalhá-lo , para que isso venha a gerar novos frutos. Por exemplo, a categoria cadete, que é nova no Brasil, foi lá e teve um ótimo desempenho, com duas medalhas de ouro e várias de prata e bronze. Com esses excelentes resultados, a confederação e federações estaduais podem fortalecer cada vez mais a base do Taekwondo brasileiro. É uma grande oportunidade.

 

Como avalia esta primeira participação da equipe cadetes, da qual foi chefe de equipe também?

 

Rivanaldo Freitas: Gostaria de destacar a participação dos pais e dos técnicos que estavam acompanhando os atletas. Foram muito prestativos para que o resultado fosse positivo. Os meninos estavam com muita vontade de ganhar. Sabiam que um bom resultado poderia dar novos frutos, até porque próximo ano vai haver o Mundial de Cadetes e esses atletas vão querer participar desse Mundial.

O clima entre Cadetes e Juvenil foi de união?

 

Rivanaldo Freitas: Toda a gente se integrou muito bem. As equipes Juvenil e Cadetes se uniram e torceram muito uma pela outra. Tornou-se uma equipe só. O clima entre a equipe era muito bom e muito favorável. O Brasil chamou a atenção pelo tamanho da equipe. Esse ano foi levada uma equipe completa de Juvenis e a equipe cadetes também estava praticamente completa, o que tornou a delegação do Brasil numa das maiores do evento. Todo mundo comentou e elogiou o Brasil por participar com tantos atletas. Penso que essa foi a maior delegação brasileira num evento internacional. Além do tamanho da equipe, o nível técnico dos atletas chamou à atenção também e vários técnicos de outros países vieram querer saber mais sobre eles e o planejamento para eles.

 

Quer deixar uma mensagem final?

 

Rivanaldo Freitas: Queria agradecer a todos os companheiros da coordenação técnica e dedicar este resultado ao nosso coordenador, Ms. Junior Maciel [ausente para representar o Brasil nos Jogos Sulamericanos], porque ele é a base dessa seleção, pela forma como ele conduz a comissão técnica e os atletas. Ele me deu esse privilégio e prazer de estar neste evento como chefe de equipe, substituindo-o. Gostaria de agradecer também à Confederação Brasileira de Taekwondo, por toda a estrutura que nos foi disponibilizada e por estar nos ter homenageado na nossa chegada ao Brasil, reconhecendo o mérito de todos os atletas. Gostaria de agradecer a todos os pais, mestres e técnicos dos Cadetes, por nos terem ajudado nesta vitória e de parabenizar todos os atletas pelo comportamento, profissionalismo e forma aguerrida com que representaram o Brasil. Todo o trabalho sério traz bons resultados e foi isso que o Brasil mostrou.

 

...