Associação Assuense de Taekwondo
26/04/2015

Entrevista: Dirigentes da Federação Potiguar de Taekwondo destacam eficiência do esporte no RN

Carlos EduardoDurante a realização do Assu Taekwondo Open neste final de semana o secretário geral e o presidente da Federação Potiguar de Taewondo, mestres Carlos Eduardo e Rivanaldo Freitas o destacaram a eficiência do trabalho desenvolvido pela entidade representativa do Taekwondo em solo potiguar.

A Federação Potiguar de Taekwondo que fez seu quarto aniversário agora no dia 24 de abril tem como missão difundir o Taekwondo no estado, promovê-lo não só na capital, mas também no interior. Fruto do bom andamento dessa missão é o que está sendo feito aqui em Assú com o empenho de quem o dirige na cidade. Assim fomentando o taekwondo e novos atletas, formamos cidadãos, pois é essa a primeira meta de todo projeto que trabalha com crianças e adolescentes, ou seja, o público nessa faixa etária. Somos uma entidade ligada ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB), e isso faz com que o pai de um atleta veja a possibilidade de ter seu filho por exemplo, participando de uma olimpíada. Aquele sonho olímpico se torna visível” disse. O dirigente também fez referência às cidades do Rio Grande do Norte que se destacam pela prática da modalidade.

O Taekwondo de Assú é o melhor do interior. Macau também está apresentando uma evolução nos últimos anos. Essas cidades são pioneiras e para conseguir atrair a atenção da iniciativa e o setor público como estão conseguindo é porque estão  resultados positivos com profissionais especializados e com a finidade para fazer esse trabalho. Outras cidades ainda não conseguiram alcançar esse mesmo nível.  Não é só ter um professor ou mestre a frente de um trabalho tático. Assim como outras modalidades o Taekwondo só se torna forte quando tem um trabalho eficiente de iniciativa voltada para um objetivo. Ainda temos a necessidade de mais professores. Mas por outro lado temos profissionais treinados, capacitados e voltados para um trabalho de alto rendimento e com vontade de fazer o esporte crescer e obter resultados satisfatórios. Quanto ao apoio isso é bom e tem o seu lugar mas o Taekwondo precisa viver além de um apoio da iniciativa privada ou do poder público. Nós só vamos ao poder público quando temos resultados positivos para mostrar e que o patrocinador pode participar dessas conquistas. O  patrocinador precisa ver que está investindo em algo que realmente tem o que mostrar. Recurso é muito bom quando é bem aplicado. Quando você ver aqui em Assú vários atletas integrando a Seleção Brasileira de Taekwondo tem ânimo para investir porque tem resultado satisfatório. O empreendedor só aposta no que traz visibilidade. Isso é economia pura”, pontuou.

Rivanaldo FreitasJá o presidente da entidade mestre Rivanaldo Freitas foi além mostrando que o Taekwondo é um esporte que merece maior atenção por se tratar de uma modalidade olímpica.

Formar o caráter integral do ser humano é a missão das artes marciais. Como estamos nos referindo ao Taekwondo aliamos tudo isso ao fato de ser um esporte olímpico e merece uma atenção diferenciada, porque pode mudar a realidade não só de um atleta, de uma família, mas de uma cidade ou de um estado. Ter um atleta representando o país numa olimpíada vai trazer notoriedade para o Rio Grande do Norte como um todo” afirmou.

UniformesRivanaldo Freitas também é coordenador técnico da Seleção Brasileira e enxerga em dois taekwondistas locais [Assú] condições de representar o Brasil nos Jogos Olímpicos. “Esse sonho está bem perto. Temos atletas que estávamos trabalhando para o circuito olímpico de 2020 os quais já podem estar nas disputas dos jogos de 2016 no Rio de Janeiro. Tivemos uma grata surpresa na Seletiva Nacional disputada no mês passado em Minas Gerais quando Paulo Ricardo e Clécia Albano [de Assú] lutaram. Ele pela primeira vez na busca pela vaga na categoria adulto e conseguiu se garantir. Clécia que já estava se destacando em outras  competições obtendo bons resultados também conseguiu lugar na Seleção Adulta. Agora ambos só dependem de si e do trabalho feito pela equipe técnica principalmente sob a coordenação do professor Fábio Lourenço – técnico dos atletas assuenses para chegar às olimpíadas. Ambos serão convocados para um camping – capacitação que acontecerá no mês de junho possivelmente em Londrina no estado do Paraná o qual definirá os atletas que estarão nos jogos. Assú tem potencial. O professor Fábio Lourenço tem material humano fruto dessa parceria com os projetos sociais, e esse pessoal tem futuro. Eu vi aqui muitos lutadores novos que futuramente sem dúvida estarão na Seleção”, finalizou.

Assessoria de Imprensa – AAT/FSA.

Clique aqui e confira a galeria de fotos do Assu Taekwondo Open 2015.

...